Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, fala sobre a distribuição de vacinas

O Ministério da Saúde esclareceu na manhã desta quarta-feira (18/08/2021) os ajustes que foram feitos na distribuição de vacinas no país, que acontece agora por faixa etária decrescente, considerando a população acima de 18 anos que ainda não recebeu a 1ª dose.

São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal já questionaram na justiça a distribuição do Ministério.

O secretário-executivo Rodrigo Cruz explica que, após os grupos prioritários, se fez necessário “tirar uma fotografia do País, para ver em que cenário a gente se encontrava, em termos de qual a população acima de 18 anos daquele estado e a quantidade de vacinas enviada”. Ele também informou que São Paulo não recebeu mais doses do que deveria. O que estamos fazendo é uma calibrada na distribuição”, afirmou.

Ele disse ainda que os estados estão recebendo o quantitativo de vacinas relativo ao número de pessoas, acima de 18 anos, que ainda precisam se vacinar, considerando a quantidade de doses entregues pelos laboratórios a cada nova distribuição. Sobre a vacinação de crianças e adolescentes, o governo explicou que a distribuição será ajustada e será feita com imunizantes da Pfizer. “Como vou vacinar adolescente em um estado e em outros pessoas de 30 anos?”, questionou o ministro Marcelo Queiroga, afirmando que a campanha não termina com aplicação de uma dose apenas.

“Os estados estão recebendo o quantitativo de vacinas relativo ao número de pessoas, acima de 18 anos, que ainda precisam se vacinar, considerando a quantidade de doses entregues pelos laboratórios a cada nova distribuição”, afirma o Ministério.

Sigam nossas redes sociais:

Facebook (@sessaodenoticias)

Instagram (@sessaodenoticias)

Twitter (@sessaonoticias)

Comments (0)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *