Psiquiatra forense diz que “Pessoas perigosas chegam a condição irrecuperável”

Lázaro Barbosa de 32 anos foi um dos criminosos mais procurados do país. Considerado um assassino em série, o caso trouxe à tona a discussão sobre pessoas que vivem no limite entre a loucura e a sanidade mental.

O site do SBT ouviu o psiquiatra forense Guido Palomba que explica como essas pessoas perigosas chegam a condição irrecuperável. “Ele nasce, se desenvolve e morre assim. Faz parte do orgânico dele. é a degeneração mental”, afirma Palmoba ao dizer que pessoas como Lázaro precisam ficar longe da sociedade.

O Brasil viveu pelo menos 2 casos como o de Lázaro nos últimos anos.

1998

Francisco de Assis Pereira aterrorizou moradores ao estuprar e matar ao menos sete mulheres. Os crimes eram cometidos em um parque na zona sul de São Paulo. O maníaco do parque, como ficou conhecido, foi condenado a mais de 260 anos de prisão. Em 2018, o Ministério Público de São Paulo chegou a pedir à justiça um novo exame de estado mental para Francisco.

2018

Tiago Henrique Gomes da Rocha, o maníaco da moto, era preso pelo assassinato de cerca de 40 pessoas. A maioria, mulheres, escolhida de forma aleatória.

Sigam nossas redes sociais:

Facebook (@sessaodenoticias)

Instagram (@sessaodenoticias)

Twitter (@sessaonoticias)

Comments (0)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *