Turquia e Paquistão irão trabalhar juntos para impedir nova onda de migrantes afegãos

Turquia trabalhará com o Paquistão para ajudar a estabilizar o Afeganistão e evitar uma nova inundação de refugiados, disse o presidente Recep Tayyip Erdogan no domingo (15/08/2021).

“A Turquia está enfrentando uma crescente onda migratória de afegãos em trânsito pelo Irã”, disse ele, ao lado de seu colega paquistanês Arif Alvi.

“Continuaremos os esforços para permitir o retorno da estabilidade na região, começando pelo Afeganistão”, disse Erdogan.

“Para fazer isso, temos que buscar e fortalecer nossa cooperação com o Paquistão.”

“Estamos determinados a mobilizar todos os meios à nossa disposição para ter sucesso”, disse o líder turco.

Os comentários vieram com o Taleban prestes a assumir o poder nos arredores de Cabul.

O ressurgimento do Taleban ocorre depois que as tropas da Otan se retiraram, após a decisão do presidente dos EUA, Joe Biden, de se retirar.

O presidente do Paquistão estava em Istambul para o lançamento de um navio construído pela Turquia para a nação do sul da Ásia que faz fronteira com o Afeganistão e é um importante ator regional.

A Turquia tem várias centenas de soldados posicionados no Afeganistão e se ofereceu para assumir o comando da segurança do aeroporto internacional de Cabul depois que os EUA concluírem sua retirada militar no final de agosto, desde que haja apoio financeiro e logístico.

Erdogan também propôs se encontrar com o líder do Taleban para conversas.

A chegada de migrantes afegãos na fronteira oriental da Turquia se tornou um tópico político quente em Ancara, com a oposição pressionando o governo a tomar medidas firmes para conter o influxo.

O governo respondeu intensificando a construção de um muro de fronteira com o Irã nos últimos dias.

“Com este muro, pararemos totalmente as chegadas”, disse Erdogan no domingo.

Sigam nossas redes sociais:

Facebook (@sessaodenoticias)

Instagram (@sessaodenoticias)

Twitter (@sessaonoticias)

Comments (0)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *