Suprema Corte do Peru prorroga a prisão preventiva do ex-presidente Pedro Castillo em ao menos 18 meses

Suprema Corte do Peru determinou, na noite de quinta-feira (15/12/2022), que a prisão preventiva do ex-presidente Pedro Castillo deve ter duração de ao menos 18 meses. A decisão, de autoria do juiz Juan Carlos Checkley, também proíbe o político de entrar em contato com investigados e possíveis testemunhas que participarão da apuração do caso.

Castillo foi preso no último dia 7 sob a acusação de “crime contra os Poderes do Estado, na modalidade de rebelião e conspiração”. Isso porque, mais cedo no mesmo dia, o ex-mandatário tentou dissolver o Congresso Nacional, bem como reorganizar o Sistema Nacional de Justiça, violando a autonomia das entidades.

“Esse comportamento teria como objetivo evitar investigações de corrupção seguido contra Castillo, bem como o procedimento de vaga presidencial, o que evidenciaria o uso abusivo de seus poderes constitucionais para obter a impunidade. Os atos perturbaram gravemente a paz pública e geraram ansiedade e incerteza na população”, defendeu o juiz.

Apesar das acusações, o ex-presidente afirma que está detido injustamente e que “jamais renunciará ou abandonará a causa popular que o atraiu até aqui”. A declaração entra em conflito com a pretensão da nova presidente peruana, Dina Boluarte, de antecipar as eleições gerais para 2023, visando acalmar os protestos desarticulados no país.

Contato da redação ou setor comercial:

Envie Email para: contato@sessaodenoticias.com.br ou clique aqui.

Sigam nossas redes sociais:

Facebook (@sessaodenoticias)

TikTok (@sessaodenoticias)

Instagram (@sessaodenoticias)

Twitter (@sessaonoticias)

Youtube (Sessão de Notícias)

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts