Otan anuncia que pretende aumentar o apoio militar à Ucrânia para forçar a Rússia a debater um acordo

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Jens Stoltenberg, sinalizou, nesta terça-feira (14/11/2023), que pretende aumentar o apoio militar à Ucrânia para forçar a Rússia a debater um acordo de paz. Segundo ele, mostrar que Moscou não tem chance de vencer a guerra é a única forma de levar o Kremlin à mesa de negociações.

O diplomata reforçou, no entanto, que cabe à Ucrânia decidir as condições aceitáveis para negociar com a Rússia. Em declarações passadas, Kiev afirmou que só aceitaria um cessar-fogo caso as tropas russas fossem totalmente retiradas do território ucraniano. A devolução de regiões ocupadas, incluindo a Crimeia, também está entre as exigências.

Enquanto as negociações não acontecem, Stoltenberg disse que a Otan trabalha para entregar um pacote militar com 1 milhão de munições, artilharia e mísseis para o exército ucraniano até março de 2024. Outros pacotes menores devem ser enviados no meio tempo.

“Não podemos permitir que o presidente [Vladimir] Putin vença. A Ucrânia tem de prevalecer como nação soberana e independente na Europa. É do nosso interesse apoiar a Ucrânia. Isso mostra que estamos a apoiar o Estado de Direito, o Direito internacional e que estamos a ajudar a Ucrânia a lutar contra uma guerra de agressão”, disse Stoltenberg.

Contato da redação ou setor comercial:

Envie E-mail para: contato@sessaodenoticias.com.br ou clique aqui.

Sigam nossas redes sociais:

Facebook (@sessaodenoticias)

TikTok (@sessaodenoticias)

Instagram (@sessaodenoticias)

Twitter (@sessaodnoticias)

Youtube (Sessão de Notícias)

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts