‘Ordens para fraudar urnas partiram do presidente Bolsonaro’, diz Hacker

O hacker Walter Delgatti Neto atribuiu, nesta quinta-feira (17), o comando de uma série de atos antidemocráticos ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). As declarações foram feitas durante depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito Mista (CPMI) do 8/1, no Congresso Nacional. A informação é do portal Metrópoles.

A sequência de menções a Bolsonaro responde a questionamentos do deputado Pastor Henrique Vieira (PSol-RJ). O parlamentar perguntou a Delgatti quem teria o pedido para invadir sistemas digitais do Conselho Nacional de Justiça (leia mais abaixo). Delgatti afirmou que a ordem veio da deputada Carla Zambelli (PL-SP) e de Jair Bolsonaro.

Em seguida, Henrique Vieira continuou: “Quem pediu para o senhor assumir a autoria do suposto grampo contra o ministro Alexandre de Moraes? Quem te convidou para fazer propaganda eleitoral para sugerir ao povo uma suposta fraude no sistema eleitoral? Quem te encaminhou ao Ministério da Defesa para elaborar questionamentos ao TSE sobre o sistema de votação?”.

O deputado também questionou: “Quem te disse que, se o senhor cometesse um ilícito, seria perdoado e receberia um indulto? Quem te deu carta branca para agir até mesmo na ilegalidade?”. Delgatti respondeu “presidente Bolsonaro” para todas as perguntas.

O portal Metrópoles tentou entrar em contato com o advogado e ex-ministro Fabio Wajngarten, assessor de Bolsonaro, mas ele não atendeu às ligações nem visualizou as mensagens.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts