EUA acusam a Rússia de violar a proibição global no uso de armas químicas na Ucrânia

Os Estados Unidos acusaram a Rússia de utilizar armas químicas contra a Ucrânia, no que seria uma grave violação da legislação internacional, ao anunciar um novo pacote de sanções contra empresas e indivíduos acusados de ajudar a financiar a invasão contra o país do Leste Europeu. O Kremlin negou a alegação americana, classificando-as como infundadas.

Washington detalhou, na quarta-feira (01/05/2024), que Moscou teria utilizado a arma química cloropicrina contra as forças ucranianas e agentes químicos anti-distúrbios, como gás lacrimogêneo, como método de guerra, violando a Convenção sobre Armas Químicas.

“O uso destas substâncias químicas não foi um incidente isolado e provavelmente é motivado pelo desejo das forças russas de remover as forças ucranianas de posições fortificadas e obter ganhos táticos no campo de batalha”, informou o Departamento de Estado dos EUA. “O desprezo contínuo por parte da Rússia de suas obrigações sob a convenção é consistente com o envenenamento de Alexei Navalny e de Sergei e Yulia Skripal com agentes nervosos Novichok”.

O Kremlin rejeitou as alegações dos EUA, nesta quinta-feira, afirmando que continua comprometida com suas obrigações ante o direito internacional. Oficialmente, o país declara que já não possui um arsenal químico militar — embora o país enfrente pressões para oferecer uma maior transparência sobre o uso deste tipo de armamento.

“Vimos as notícias sobre isso. Como sempre, tais acusações parecem completamente infundadas e sem consistência” disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, aos repórteres quando questionado sobre as acusações.

A cloropicrina é uma substância oleosa conhecida como agente de asfixia, amplamente utilizada durante a Primeira Guerra Mundial como forma de gás lacrimogêneo. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA o rotulam como um “agente prejudicial aos pulmões” que pode causar irritação grave na pele, olhos e sistemas respiratórios. A sua utilização é especificamente proibida pela Organização para a Proibição de Armas Químicas.

Em paralelo às acusações, Washington anunciou um novo pacote de sanções contra empresas e indivíduos de ajudar a financiar a invasão russa da Ucrânia. Além das empresas de defesa russas e entidades chinesas, as sanciones afetam também várias unidades de pesquisa e empresas implicadas nos programas russos de armas químicas e biológicas.

*Informações do Portal Folha-PE

Contato da redação ou setor comercial:

Envie E-mail para: contato@sessaodenoticias.com.br ou clique aqui.

Sigam nossas redes sociais:

Facebook (@sessaodenoticias)

TikTok (@sessaodenoticias)

Instagram (@sessaodenoticias)

Twitter (@sessaodnoticias)

Youtube (Sessão de Notícias)

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts