Em busca de armas, Rússia propõe lei que confisca linhas de produção de fábricas do país

Pela primeira vez, a Rússia admitiu que está ficando sem armas na guerra da Ucrânia, depois que o governo do presidente Vladimir Putin criou um projeto de lei federal que permitiria ao país reparar rapidamente armas e equipamentos militares.

Na noite de quinta-feira (30/06/2022), o Kremlin apresentou à Duma um projeto de lei sobre “medidas econômicas especiais” para “operações antiterroristas e outras” fora da Rússia.

Uma nota explicativa anexada ao projeto dizia que há, particularmente em meio à guerra de Putin contra a Ucrânia, “uma necessidade crescente de reparo de armas e equipamentos militares no curto prazo”.

O projeto de lei propunha, entre outras medidas, “a implantação de bens materiais das reservas do Estado” e “a ativação temporária de capacidades e instalações de mobilização”, além de horas extras em “organizações individuais”.

O texto do projeto de lei observa a necessidade de a Rússia reparar suas armas e equipamentos militares em meio a “uma operação militar especial nos territórios da República Popular de Donetsk, da República Popular de Luhansk e da Ucrânia”, referindo-se à guerra contra a Ucrânia, que Putin lançado no final de fevereiro.

“A necessidade de atender prontamente a esses requisitos, especialmente no contexto da introdução por estados estrangeiros e organizações internacionais de medidas restritivas contra cidadãos russos e pessoas jurídicas russas, exigirá uma concentração temporária de esforços em determinados setores da economia (em determinadas áreas), recarregar as capacidades de produção das organizações do complexo industrial militar, incluindo a mobilização, e organizar o apoio de recursos para entregas no âmbito da ordem de defesa do estado”, disse a nota.

De acordo com a nota explicativa, o projeto de lei, se sancionado, daria ao Kremlin autoridade “para estabelecer regulamentos especiais relativos às relações trabalhistas para certas organizações, suas divisões e instalações de produção selecionadas”.

OFERTAS DE ASSINATURA DA NEWSWEEK >
Perdas militares
Isso marca a primeira vez que a Rússia sinalizou que está sofrendo enormes perdas militares em sua guerra contra a Ucrânia.

As autoridades ucranianas fornecem regularmente atualizações sobre as perdas militares russas. Na sexta-feira, o estado-maior das forças armadas da Ucrânia disse no Facebook que, até agora, a Rússia perdeu 35.750 militares, 1.577 tanques, 3.736 veículos blindados de combate, 796 sistemas de artilharia, 246 lançadores de foguetes múltiplos, 105 sistemas de defesa aérea, 217 aeronaves , 645 VANTs operacional-táticos, 15 navios/barcos, 2.610 veículos e petroleiros e 186 helicópteros.

Autoridades russas até agora negaram publicamente que Moscou esteja tendo dificuldades para sustentar o esforço de guerra de Putin.

O Ministério da Defesa britânico observou em uma atualização de inteligência no final de maio que a decisão da Rússia de implantar antigos tanques da era soviética no campo de batalha destacou “a escassez de equipamentos modernos e prontos para o combate na Rússia”.

*Informações do site Newsweek

Contato da redação ou setor comercial:

Envie Email para: contato@sessaodenoticias.com.br ou clique aqui.

Sigam nossas redes sociais:

Facebook (@sessaodenoticias)

Instagram (@sessaodenoticias)

Twitter (@sessaonoticias)

Youtube (Sessão de Notícias)

Total
1
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Related Posts