Ataques da coalizão Saudita mata 218 rebeldes em torno de Marib, no Iêmen

A coalizão militar liderada pelos sauditas no Iêmen disse neste domingo (31/10/2021) que mais de 218 rebeldes Huthi foram mortos em ataques aéreos ao redor da cidade de Marib, o último bastião do norte do governo internacionalmente reconhecido.

Os Huthis apoiados pelo Irã raramente comentam sobre as perdas, e a AFP não pôde verificar o número de vítimas de forma independente.

“Vinte e quatro veículos militares foram destruídos e mais de 218” insurgentes foram mortos em ataques nas últimas 72 horas em dois distritos, de acordo com a Agência de Imprensa Saudita oficial, que desde 11 de outubro emitiu relatórios quase diários de bombardeios em torno de Marib, capital da província de mesmo nome, rica em petróleo.

Desde então, a coalizão – que luta no Iêmen para apoiar o governo há quase sete anos – afirma ter matado cerca de 2.200 insurgentes na área de Marib.

O último bombardeio foi realizado em Al-Jawba, cerca de 50 quilômetros (30 milhas) ao sul de Marib, e Al-Kassara, 30 quilômetros a noroeste.

Os Huthis teriam afirmado que estavam apertando seu controle em torno da cidade de Marib, acrescentando que era “apenas uma questão de tempo” até que a apreendessem.

Eles começaram um grande esforço para tomar Marib em fevereiro e, após uma calmaria, renovaram sua ofensiva desde setembro.

A guerra civil iemenita começou em 2014 quando os Huthis tomaram a capital Sanaa, 120 quilômetros (74 milhas) a oeste de Marib, o que levou as forças sauditas a intervir para apoiar o governo no ano seguinte.

Dezenas de milhares de pessoas morreram e milhões foram deslocados no que as Nações Unidas chamam de a pior crise humanitária do mundo.

Sigam nossas redes sociais:

Facebook (@sessaodenoticias)

Instagram (@sessaodenoticias)

Twitter (@sessaonoticias)

Comments (0)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *