Governo da África do Sul faz envio de 2.500 militares para conter onda de violência e saques após a prisão do ex-presidente Zuma

Segundo a agência de notícias AFP News Agency, 72 pessoas morreram e 757 foram detidas durante os protestos violentos que continuam na África do Sul desde sexta-feira (09/07/2021). Os distúrbios foram desencadeados após a prisão do antigo chefe de Estado e ex-líder do Congresso Nacional Africano (ANC, na sigla em inglês), Jacob Zuma.

Segundo o governador da província de KwaZulu-Natal, Sihle Zikala, as autoridades locais contabilizaram até ao momento 26 mortos em resultado da violência e 304 detidos. Já em Gauteng, o número de vítimas aumentou para pelo menos 10 nas últimas 24 horas, enquanto 453 foram detidas.

Na cidade portuária de Durban, onde grupos de residentes se armaram com armas de fogo para proteger comunidades, casas e negócios, a situação é descrita como sendo “caótica”. Na segunda-feira (12) houve vários relatos de saques a grandes armazéns de distribuição em Riverhorse Valley.

Na Cidade do Cabo, onde os centros comerciais foram encerrados devido aos distúrbios no KwaZulu-Natal e Gauteng, três pessoas foram assassinadas nesta manhã (13/07/2021) e outras seis ficaram feridas durante confrontos entre os manifestantes e a polícia local.

O Governo destacou que 2,5 mil soldados foram enviados para apoiar a polícia a conter os distúrbios no KwaZulu-Natal e em Gauteng, motor da economia do país.

Sigam nossas redes sociais:

Facebook (@sessaodenoticias)

Instagram (@sessaodenoticias)

Twitter (@sessaonoticias)

Comments (0)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: